Argentina derrota Brasil com 10 jogadores em jogo polêmico das eliminatórias da Copa do Mundo marcado pela violência dos torcedores

Muitos torcedores foram ao Estádio do Maracanã na terça-feira para ver Lionel Messi em seu provável último jogo no Brasil, um superclássico nas eliminatórias da Copa do Mundo contra os anfitriões. Em vez disso, viram Nicolás Otamendi marcar o único gol na vitória de 1 a 0 da Argentina, depois de uma briga entre torcedores que atrasou o início do jogo.

Argentina Defeats Brazil in Maracanã, Messi Unable to Score in World Cup Qualifiers

Os campeões da Copa do Mundo infligiram ao Brasil a primeira derrota em casa nas eliminatórias da Copa do Mundo. Foi a terceira derrota consecutiva do Brasil no torneio round-robin – outra marca negativa para o novo técnico Fernando Diniz.

Messi deixou o campo aos 78 minutos do segundo tempo em meio a uma mistura de vaias e aplausos dos torcedores brasileiros. Dezenas de crianças chegaram ao Maracanã vestindo as camisas do Barcelona, o antigo clube do craque, e da Inter Miami.

No entanto, o astro argentino não conseguiu encerrar uma de suas últimas barreiras no esporte no Maracanã, marcando um gol contra os brasileiros em uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo.

A Argentina voltará para casa não apenas no topo da classificação das eliminatórias sul-americanas, mas também tendo dado aos seus torcedores mais uma chance de comemorar uma vitória no histórico estádio do Rio de Janeiro. Há dois anos, Ángel di Maria marcou o único gol em um Maracanã vazio, dando à sua equipe o título da Copa América.

O violento incidente antes do jogo, que começou logo após os hinos nacionais, paralisou o início por 27 minutos. A Argentina, liderada por Messi, foi para os vestiários por 22 minutos. Pelo menos um torcedor deixou o estádio sangrando na cabeça. A polícia do Rio disse que prendeu oito pessoas por causa da briga.

Jogo intenso entre Brasil e Argentina reflete a agressividade fora de campo

A agressividade entre os torcedores se refletiu em campo nos primeiros 20 minutos do jogo; o árbitro deu faltas contra o Brasil durante esse tempo. A tensão diminuiu e permitiu que a Argentina evitasse o confronto direto.

O Brasil desperdiçou oportunidades, com o chute livre de Raphinha aos 38 minutos e Cristian Romero salvando a Argentina perto da linha do gol seis minutos depois, após um chute cruzado de Gabriel Martinelli.

O Brasil sugeriu que manteria a pressão após o intervalo. Rodrygo obrigou o goleiro Dibu Martinez a fazer uma defesa à queima-roupa aos 54 minutos.

Mas o gol da Argentina aos 63 com uma cabeçada de Otamendi, que pulou por cima dos zagueiros brasileiros para bater um escanteio, foi uma das poucas chances criadas pela equipe.

O adolescente Endrick, uma das grandes esperanças do Brasil no ataque, não fez muita diferença depois de entrar em campo aos 72 minutos.

Aos 81, o meio-campista Joelinton, que acabara de entrar no lugar do brasileiro, foi expulso após empurrar Rodrigo de Paulo. A torcida brasileira terminou a partida cantando “olé” a cada toque dos argentinos, enquanto os torcedores visitantes agitavam suas camisas enquanto alguns de seus jogadores comemoravam no gramado.

A Argentina lidera as eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo, enquanto o Brasil enfrenta dificuldades

A Argentina lidera as eliminatórias sul-americanas de 10 equipes com 15 pontos em seis jogos, seguida pelo Uruguai, com 13, e pela Colômbia. O Brasil pode terminar o ano na sexta posição, com sete pontos.

A Copa do Mundo de 2026 nos Estados Unidos, México e Canadá contará com 48 equipes, o que significa que as seis melhores equipes da América do Sul terão entrada direta. O sétimo colocado pode ganhar uma vaga em um playoff intercontinental.

Também na terça-feira, a Colômbia venceu o Paraguai por 1 a 0; o Uruguai derrotou a Bolívia por 3 a 0 em Montevidéu; e o Equador venceu o Chile por 1 a 0.

Peru e Venezuela ainda estavam jogando no momento em que terminou a partida entre Brasil e Argentina.

A sétima e a oitava rodadas das eliminatórias sul-americanas serão realizadas em setembro, após a próxima edição da Copa América nos Estados Unidos.

Table of Contents


Must Read