'É quase como se não fosse real': como o Santos, o clube de Pelé, foi rebaixado pela primeira vez em seus 111 anos de história

Como muitos torcedores de futebol no Brasil, os seguidores do Santos FC consideram seu time como uma segunda religião.

O Santos, um dos times mais lendários da América do Sul e a equipe onde o lendário Pelé jogou durante a maior parte de seu tempo no Brasil, teve um fim quase insondável na semana passada.

Em seus 111 anos de existência, o Santos foi rebaixado para a Série B, a divisão inferior do futebol brasileiro, pela primeira vez.

Enquanto as câmeras passavam por espectadores chorosos espalhados pelo estádio da Vila Belmiro, em Santos, havia desespero e tristeza no estádio em tempo integral. No entanto, a raiva estava presente.

Vários automóveis foram incendiados em São Paulo, e alguns dos participantes brigaram com a polícia enquanto jogavam detritos no gramado.

Jogando com Pelé, Pepe, ícone do Santos, marcou 403 gols pela equipe, ficando atrás apenas de “O Rei”. Ele disse que “assistiu incrédulo” ao rebaixamento do time em que jogou 741 vezes para a Série B.

Pepe postou no Instagram: “Aos 88 anos, meu coração experimentou muitas emoções, tanto boas quanto ruins”.

Foi, sem dúvida, uma visão deprimente, mas apesar dos altos e baixos do Peixe durante esse campeonato brasileiro, não considerei a perspectiva de o time perder; era como se os deuses do futebol estivessem cuidando de nós.

Um desgosto inesperado: O rebaixamento devastador do Santos no confronto final

O Santos estava na 15ª posição, a duas posições da zona de rebaixamento, indo para o último jogo da temporada contra o Fortaleza Esporte Clube, um time de meio de tabela que não tinha nada a disputar em casa.

De acordo com o jornalista brasileiro e torcedor do Santos Anthony Wells, havia apenas cerca de 10% de probabilidade de o Santos ser rebaixado antes do jogo, dentre todas as combinações possíveis que poderiam levar um dos times Vasco da Gama, Bahia ou Santos a ser rebaixado, informou a CNN Sport.

No entanto, a derrota do Santos por 2 a 1 em casa, juntamente com as vitórias do Bahia e do Vasco, condenou o Peixe a jogar na Série B no ano seguinte.

Sabe, é quase como se não fosse real. Wells informou à CNN. “Eu tive pesadelos”. Hoje de manhã, quando acordei, pensei comigo mesmo: “Estou realmente vivendo isso? Foi realmente tão ruim assim?

“Aconteceu da pior maneira possível porque os torcedores do Santos estavam confiantes de que poderiam evitar o rebaixamento. É pura tristeza.”

O legado de Pelé lança uma sombra: o rebaixamento do Santos em meio ao luto

Menos de um ano após o falecimento de Pelé, o Santos foi rebaixado, o que Wells descreveu como “piorando ainda mais as coisas” e “muito mais difícil” de absorver.

Após seu falecimento, o caixão de Pelé foi mantido no estádio da Vila Belmiro, sede do Santos e palco da devastadora derrota de quinta-feira. Milhares de brasileiros compareceram ao jogo para demonstrar suas condolências.

Durante uma carreira inigualável, Pelé marcou 288 gols sem precedentes no estádio, onde residiu por 18 temporadas.

De acordo com Wells, havia esperança de que a equipe e os jogadores pudessem “aliviar um pouco essa dor” e substituí-la pela satisfação de permanecer na primeira divisão, mesmo que os torcedores do Santos soubessem que uma temporada de luta contra o rebaixamento era iminente.

Exatamente o contrário ocorreu após o segundo gol do Fortaleza. Isso simplesmente piorou a situação”, comentou Wells.

“Piorou consideravelmente as coisas, especialmente considerando o fato de que ninguém realmente esperava que esse rebaixamento ocorresse.” Sua única tarefa era vencer em casa. É isso aí. Tudo o que eles precisavam fazer era isso, o que não era verdade.

“E muitos torcedores do Santos estão dizendo que Pelé salvou o Santos de ser rebaixado para a Série B porque ele não merece isso”, diz o relatório.

Santos na encruzilhada: O apelo de Pepe por reestruturação e uma visão das recentes dificuldades do clube

Agora, mais do que nunca, o incrível período de sucesso que produziu seis campeonatos brasileiros e dois títulos da Copa Libertadores – os dias dourados de Pelé e Pepe – parecem uma lembrança distante, mas a reestruturação, nas palavras de Pepe, será essencial para o retorno do Santos.

Pepe observou: “Mas não vamos nos esquecer de que o SANTOS é GRANDE”. É hora de reconhecer a campanha inconsistente e apontar os erros para que possamos nos reagrupar e retornar à Série A na temporada seguinte. A grande história que escrevemos jamais será manchada por uma campanha ruim que resultou no rebaixamento.

O fato de que a escrita estava na parede há alguns anos, mas a equipe continuou a caminhar sem rumo em direção ao rebaixamento pode ter sido o aspecto mais perturbador do rebaixamento para os torcedores do Santos.

Dois resultados medianos em 2021 e 2022 encobriram um pouco as falhas após duas temporadas exaustivas, e a equipe enfrentou frequentemente o rebaixamento no Campeonato Paulista.

Desde que assumiu o cargo em 2021, o presidente do Santos, Andrés Rueda, sofreu o peso da insatisfação dos torcedores. No entanto, no sábado, Marcelo Teixeira foi reeleito para o cargo, encerrando o mandato de Rueda.

Gesto simbólico: A camisa 10 de Pelé é aposentada enquanto o Santos enfrenta dificuldades financeiras na Série B

Assim que assumiu o cargo de presidente, Teixeira aposentou a icônica camisa 10 de Pelé, dizendo aos repórteres que o time “voltará à primeira divisão, mas, até lá, não usaremos nossa camisa mais gloriosa” até que o Santos seja promovido de volta à Série A.

O The Athletic informa que o time tem uma dívida de US$ 142 milhões, que só vai piorar porque o time está em uma divisão menos competitiva.

Embora não seja mais a joia reluzente de outrora, o Santos, a casa de Neymar Jr. e Rodrygo do Real Madrid, há muito tempo depende de sua academia para criar jogadores para o time principal e, eventualmente, vender para o exterior.

Após o resultado de quinta-feira, Rodrygo fez uma postagem no X, antigo Twitter, dizendo: “Serei Santos mesmo que a bola não entre, mesmo que a Vila se cale, mesmo que o Manto Sagrado se apague, mesmo que a vitória esteja longe”.

“Por mais longo e difícil que seja o caminho, serei sempre Santos-Santos em meu coração e em minha alma, em minha torcida e em minhas palmas!”

De acordo com Wells, não há garantia de que os clubes da Série B retornarão à primeira divisão imediatamente. Muitos vêm planejando seu retorno há anos, e alguns já foram promovidos e rebaixados várias vezes.

Desafios difíceis pela frente: A difícil batalha do Santos para se redimir na Série B

Wells também cita os casos dos pesos pesados Cruzeiro e Vasco, que tiveram de jogar várias temporadas na Série B antes de conseguirem avançar.

Wells apresenta uma imagem terrível para o Santos na segunda divisão brasileira, ressaltando que o time terá de fazer mudanças significativas na diretoria, na equipe técnica, no elenco de jogadores e nas finanças.

Wells continuou: “Todos terão de estar na mesma página”.

“Nada marcará mais o futebol brasileiro em 2023 do que o rebaixamento do Santos”, tuitou o comentarista brasileiro Juca Kfouri após a derrota do time para o Fortaleza.

Mesmo que o passado do clube nunca seja totalmente recuperado pelo rebaixamento, o Santos ainda tem muito trabalho a fazer antes do início da nova temporada para garantir que sua permanência na Série B seja breve.

isabella da silva
isabella da silva

Table of Contents

Must Read